sábado, 18 de junho de 2016

Cinema de Mato Grosso do Sul



Dia 19 de Junho, dia do cinema brasileiro, nós do I Love MS aproveitamos para relembrar a história do cinema sul-mato-grossense, até os dias atuais.


Cinema brasileiro e de MS. I Love MS
Cinema brasileiro e de MS. I Love MS


O Cinema de Mato Grosso do Sul é muito mais antigo que o nosso estado, que esse ano completa 112 anos, a partir da sua primeira sessão de cinema, que ocorreu em Corumbá, maio de 1903, dentro de um circo, trazido por Dan Manuel Paulo. Na época o cinema era trazido como uma atração circense. A grande novidade vinda de Paris era o cinematógrafo, relembrado por Luiz Borges.

Cine Santa Helena - Campo Grande - MS
Cine Santa Helena - Campo Grande - MS


Um personagem que marcou o início das projeções, em Campo Grande foi Francisco de Barros, conhecido como “Chico Phonografo”. Ele trouxe, em 1903, para a quermesse de Santo Antônio, um aparelho com uma manivela que fazia girar fitas de celulóide com figuras que produziam pequenas histórias vistas por um orifício. O paulista Francisco era um caixeiro-viajante que percorria os sertões para levar o ‘progresso da ciência’ a regiões longínquas e, com isso, ganhava alguns mil réis.

Alhambra - Campo Grande - MS
Alhambra - Campo Grande - MS
Em 1910 chegou a Campo Grande o primeiro cinema trazido pelo italiano Raphael Orrico, que tinha como pretensão apresentar ao pequeno Arraial de Santo Antônio de Campo Grande a inédita forma de comunicação de imagens. Orrico, ao se hospedar no Hotel Democrata, vislumbrou a possibilidade de instalar, sob as copas das árvores, o Cine Brasil. 

Cine Glória - Aquidauana - MS fonte: Aquidauananews
Cine Glória - Aquidauana - MS fonte: Aquidauananews
Segundo o cineasta cuiabano, Luiz Borges, o cinema sempre foi a arte de maior representatividade em Mato Grosso do Sul, pois foi aqui que iniciou o desenvolvimento dessa expressão artística, principalmente em Corumbá, Aquidauana e Campo Grande. 

José Octávio Guizzo o primeiro pesquisador e um dos grandes representantes e lutadores pelo reconhecimento da Cultura, da Arte, do Cinema do nosso Estado.
José octávio Guizzo - acervo familiar
José octávio Guizzo - acervo familiar

As obras de Guizzo devem ser destacadas por retratarem a história Sul-Mato-Grossense tanto na esfera Cinematográfica, como Musical, são elas:

- Esboço Histórico do Cinema em Mato Grosso do Sul; - Alma do Brasil - O Primeiro Filme de Reconstituição Histórica, Inteiramente Sonorizado; - A Moderna Música Popular Urbana de Mato Grosso do Sul.

Uma pena que nos deixou muito cedo.

Filme "Alma do Brasil" de Líbero Luxardo
Filme "Alma do Brasil" de Líbero Luxardo 
Líbero Luxardo foi um diretor, produtor, roteirista, jornalista, escritor, político e professor nascido em Sorocaba, no interior do Estado de São Paulo.

Na década de 1930, ele veio para Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, onde iniciou seu ciclo sul-mato-grossense. Aqui, Líbero conheceu o fotógrafo Alexandre Wulfes, com quem fez uma parceria e filmou “A retirada da Laguna”, baseado no livro de Visconde de Taunay sobre a Guerra do Paraguai.

A partir disso, surgiu o filme “Alma do Brasil”, de 1932, que foi muito bem contado por Guizzo em seu livro citado acima, através desse filme fomos projetados ao Brasil no mundo cinematográfico.

Nos tempos atuais, vieram algumas produções nacionais, como Terra Vermelha, um filme de Marco Bechis, em 2008, em 2009, o filme Cabeça a Prêmio, de Marco Ricca.

Terra Vermelha, filme de Marco Bechis
Terra Vermelha, filme de Marco Bechis
Cabeça a Prêmio, filme de Marco Ricca
Cabeça a Prêmio, filme de Marco Ricca


    
















E neste ano de 2015, tivemos uma super produção do Filme “Em Nome da Lei”, do cineasta carioca Sergio Rezende, na cidade de Dourados, no elenco, Paola Oliveira, Matheus Solano e o grande Chico Diaz, com 68 filmes em sua carreira, ao qual eu, Mariana de Barros, tive o prazer de trabalhar.

Cena do Filme "Em Nome da Lei"
Cena do Filme "Em Nome da Lei" - as gravações terminaram agora em maio


As produções regionais tem sido protagonizadas pela Render Brasil, de propriedade de Fábio Flecha e Tânia Render Brasil, com os filmes Do Sul, Mato Grosso do Sul, Desafio de Viola, Espera, Sem Fim, Enterro, e em breve novos lançamentos.



Do Sul Mato Grosso do Sul
Do Sul Mato Grosso do Sul

Desafio de Viola
Desafio de Viola



















E nós temos hoje um espaço para relembrar e poder discutir tudo isso, que é o MIS, onde é possível acompanhar diversas exposições audiovisuais, palestras, oficinas, cursos, seminários, mostras de cinema e obter formação e conhecimento do estado, o Museu da Imagem e do Som de Mato Grosso do Sul.

MIS - Museu da Imagem e do Som de MS.
MIS - Museu da Imagem e do Som de MS. Foto: Fundação de Cultura

Acesse o site da Fundação de cultura e saiba mais detalhes do MIS de MS.





Postar um comentário