sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Pontos Turísticos de Corumbá





Conhecida como Cidade Branca por conta da cor clara do solo, rico em calcário, a cidade de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, é um dos principais destinos turísticos do Estado procurado pelos visitantes por conta do turismo, pescaria e da preservação e belezas naturais do Pantanal.

Corumbá - Portal do Pantanal. Foto: Divulgação Prefeitura de Corumbá.
O destino turístico é considerado o principal portal para o Pantanal. Muitos turistas estrangeiros e também brasileiros encontram no local animais e plantas raras em suas regiões e aproveitam para realizar as atividades de contemplação da natureza e safári fotográfico.

Mais do que belezas naturais e animais exóticos, a cidade tem sua história, arte e pontos turísticos que valem a pena ser conhecidos pelos visitantes. Confira abaixo os principais pontos turísticos de Corumbá (MS):


Forte Coimbra - Localizado numa área de difícil acesso (apenas de avião ou barco) foi construído em 1775 para defender o território brasileiro contra as invasões espanholas. Foi cenário também de batalhas na época da Guerra do Paraguai. Tombado em 1975 hoje cedia a artilharia de costa da 18º Brigada de Infantaria de Fronteira do Exército.


Forte Coimbra. Foto: Divulgação Prefeitura de Corumbá.

Rio Paraguai - Margeado por árvores é navegável em quase toda a sua extensão. Ideal para a pesca e passeios fotográficos.

Pesca em Corumbá. Foto: Divulgação Prefeitura de Corumbá.

Casa da Escultora - Na casa das Artes Izulina Xavier estão expostos artesanatos confeccionados em pó de pedra e concreto, cerâmica e entalhes de madeira. Está aberta entre as 8 e às 17 hs, durante a semana.

Igreja Nossa Senhora da Candelária - Inaugurada com solenidade em 1877 , a igreja localizada em frente a Praça da República tem em seu altar um brasão da Coroa portuguesa.

Nossa Senhora da Candelária. Foto: Divulgação Prefeitura de Corumbá.

Santuário Mª Auxiliadora - No Santuário está a escultura de madeira de lei construída na década de 50 pelo artista plástico Burgoso, amigo pessoal de Pablo Picasso, que viveu em Corumbá e deixou inúmeras obras de madeira e gesso. Funciona na rua Dom Aquino Correia das 13 hs às 20 hs.

Casa do Massa-Barro - Foi criada para incentivar a arte em cerâmica. Seus artistas são crianças e adolescentes que modelam a flora e animais Pantaneiros com argila.

Casa de Massabarro. Foto: Divulgação Prefeitura de Corumbá.

Cacimba da Saúde - Próximo a Casa do Massa Barro existe um minadouro de água gelada e transparente. Sua nascente exibe o leite de pedras na qual é formada. Há quem diga que suas águas são medicinais. Ali revela um lugar onde meninos do local se encontravam para brincar e se banhar naquele lago. Hoje, temos um portal que se abre para o Parque da Cacimba, inaugurado em junho de 2003.

Casa do Artesão - No prédio que até os anos 70 funcionava a cadeia pública, pode se encontrar artesanato em couro, madeira e cerâmica feito por artesãos da região, além do artesanato indígena. Sem falar dos mais deliciosos licores caseiros. Não existem registros da construção do prédio, apenas de sua primeira restauração (1893). A casa foi fundada em 1975 e teve as celas transformadas em lojas comerciais ou locais de produção.

Casa do Artesão de Corumbá. Foto: Divulgação Prefeitura de Corumbá.

Praça da República -
O local que foi cenário da batalha final da retomada de Corumbá em 1867 tem um obelisco feito em mármore em homenagem aos heróis da Guerra do Paraguai.

Instituto Luiz de Albuquerque - No museu pode se encontrar animais empalhados, peças de várias tribos indígenas da região, sessões de artes plásticas e de artesanato em couro e barro, utensílios usados nas fazendas centenárias, objetos pessoais dos primeiros desbravadores do Pantanal e do Marechal Cândido Maria da Silva Rondon. O prédio de arquitetura francesa construído em 1922 para abrigar um grupo escolar foi restaurado para dar espaço, além do museu, há duas bibliotecas.

Ladeira Cunha e Cruz - Conhecida também como "Ladeira da Candelária" é um dos principais acessos ao Porto Geral e ao rio Paraguai. Seu nome é uma homenagem a um capitão da tropa brasileira que derrotou os paraguaios. No local travou-se a sangrenta batalha de 13 de junho de 1867. Uma Segunda ladeira, a José Bonifácio construída em 1922 também liga o centro da cidade ao porto.

Escadinha da Quinze - Seus 126 degraus dão acesso da parte alta da cidade ao Porto Geral. Construída em 1923 foi restaurada pela Prefeitura. Situada no cruzamento da Avenida General Rondon com a Quinze de Novembro proporciona uma vista inesquecível do rio Paraguai e do Pantanal.

Praça da Independência - Antigo zoológico da cidade, apenas outras três praças (duas no Brasil e uma na Alemanha) têm o seu estilo arquitetônico. Possui um coreto em forma octogonal importado da Alemanha, de onde veio também o mosaico do calçamento da parte externa. As quatro esculturas que representam as estações do ano foram esculpidas na Itália em Pizza e doadas pôr um conde italiano que veio caçar no Pantanal. As plantas nativas da região, como o carandá, a bocaiúva eo ipê-roxo, integram a diversificada arborização. Os corumbaenses reverenciam na praça os heróis da Guerra do Paraguai e da 2ª Guerra Mundial. A Praça foi inaugurada em 1917. >> Fotos Praça da Indepêndencia

Casario do Porto - Tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional em 1992, o cartão postal da cidade ainda guarda vestígios de um período de grande prosperidade. Os prédios abrigavam grandes empórios, 25 agências bancárias internacionais, curtumes e a primeira fábrica de gelo do Brasil. O prédio wanderley, Baís&Cia, construído em 1876 é um dos mais belos do porto, no local funciona hoje a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Turismo e a Fundação de Cultura do Pantanal.

Casario do Porto. Foto: Divulgação Prefeitura de Corumbá.

Outro casarão de igual valor arquitetônico é a casa Vasquez & Filhos, construída em 1909 pelo arquiteto italiano Martino Santa Lucci.

O casario que fica no Porto geral é um dos principais pontos turísticos da cidade. Em 1814, foi o 3º maior Porto da América Latina. Desembarcavam de transatlânticos com mercadorias para compra e venda da Europa para o Brasil.

Forte Junqueira - Construído em 1871 logo após a Guerra do Paraguai, está localizado numa área privilegiada de onde se avista o Pantanal. Os doze canhões fabricados na Inglaterra nunca foram usados. As paredes são de calcário e tem meio metro de espessura. O Forte que está situado hoje dentro do Quartel do 17º Batalhão de Caçadores tem esse nome em homenagem a José Oliveira Junqueira, Ministro da guerra na época de sua construção.

Forte Junqueira. Foto: Divulgação Prefeitura de Corumbá.

Estrada Parque - Pode se ver ao longo dos seus 120 Km e 87 pontes de madeira aves, mamíferos e jacarés. Na Estrada Parque se encontra o Porto da Manga que se destaca pela mostra maravilhosa da flora dos ipês, das bocaiúvas e animais vivendo em perfeito entrosamento.

Ladário - A cidade que faz divisa com Corumbá tem cerca de 15 mil habitantes e abriga a maior base fluvial da América Latina. O portal de entrada do 6º Distrito Naval da Marinha foi instalado em 1872 e é chamado o Arco do Triunfo do Pantanal.

Ladário. Foto: Divulgação Prefeitura de Ladário.

Cristo Rei do Pantanal - A imagem de 12 metros de altura do Cristo Rei do Pantanal, localizada no alto do morro do Cruzeiro.

Cristo Rei do Pantanal. Foto: Divulgação Prefeitura de Corumbá.

Via Crucis - A Via Sacra que mostram o caminho do calvário vivido por Jesus Cristo, desde a condenação por Pôncio Pilatos até a morte na cruz, são representadas pelas 14 estações da Via Crucis em forma de 72 estátuas colocadas ao logo da subida do morro do Cruzeiro. As 14 Estações retratam a Paixão e Morte de Cristo. O Cristo Rei e a Via Sacra foram produzidos pela artista plástica Izulina Xavier


Postar um comentário