segunda-feira, 9 de março de 2015

Cia Dançurbana apresenta espetáculo “De Passagem” dentro de ônibus na capital

As apresentações são gratuitas e retratam situações diárias dos usuários do transporte coletivo.


Já imaginou assistir uma apresentação de dança dentro de um ônibus em movimento? Neste mês de março será possível viver uma experiência assim em Campo Grande-MS. A Cia Dançurbana apresenta o espetáculo inédito “De Passagem”, que será realizado dentro de um ônibus do transporte coletivo, nos três últimos fins de semana deste mês, de sexta a domingo, com sessões às 19h e 21 horas. O projeto tem apoio da Fundação Nacional de Artes (Funarte), pois foi contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2013.



A idealização do espetáculo surgiu da parceria entre dois profissionais da dança: Marcos Mattos e Paula Bueno, que resolveram somar as habilidades e desenvolver um projeto único, diferente, que fosse capaz de trazer ‘a cidade para a dança e a dança para a cidade’. “O objetivo é trabalhar o aspecto urbano das danças urbanas que a companhia pratica. Trazer o público para a experiência do ônibus, que é corporal, urbana, política. E por fim, falar da realidade do transporte coletivo, por meio do corpo e das histórias de um grupo de jovens que utiliza esse serviço tão necessário para a nossa sociedade”, conta Paula.   

As apresentações acontecem dentro do ônibus, o corredor, transforma-se no palco e; os assentos, nas poltronas da plateia. As cenas retratam situações diárias dos usuários do transporte coletivo: encontros e desencontros, gentilezas e falta de bom senso, sono, medo, paquera, pressa, encantamento; perseguição. Os movimentos criados partem de movimentos cotidianos retratados nas cenas, utilizando a estrutura do ônibus como suporte. Tudo isso utilizando a cidade como ferramenta de interação: rua, veículo, calçadas, paisagens, muros, pistas de corrida, terminais, entre outros.



“As técnicas de danças urbanas como Popping, Break Dance e Vogue, foram trabalhadas conforme se fizeram necessárias, dentro de um contexto. A criação coreográfica foi dos próprios intérpretes: Ariane Nogueira, Adaílson Dagher, Maura Menezes, Lívia Lopes, Irineu Ruach, Jackeline Mourão, Rosely Mendonça, Ralfer Campagna, Roger Pacheco e Reginaldo Borges. Eles tinham no repertório pessoal, muitas histórias vividas, vistas e ouvidas. A Paula foi a responsável pela concepção e criação do espetáculo. Eu vim com um olhar global sobre o trabalho, apurando as configurações finais, alinhavando as ideias, trazendo para o trabalho uma dramaturgia da cena e do movimento”, revela Marcos, diretor artístico e geral.

O ponto de partida é o Teatro Aracy Balabanian, na rua 26 de agosto, onde o ônibus passa para pegar os passageiros (público). Depois, o veículo segue percorrendo diversas ruas, avenidas (como a Via Park e Ernesto Geisel) e regiões. Enquanto o ônibus trafega por Campo Grande, as apresentações vão acontecendo, o espetáculo tem cerca de 1h30 de duração. Ao final os passageiros são deixados no Teatro, que também é o ponto de chegada. 


“Os ‘passageiros’ vão viver uma experiência em conjunto com os integrantes da Cia Dançurbana pela cidade. O público permanecerá sentado durante todo o percurso e será instigado pelas cenas a projetar o olhar para as pessoas, os espaços urbanos e para a cidade, movendo-se suavemente e espontaneamente em suas cadeiras a cada manobra desse grande palco”, finaliza Paula.
Postar um comentário