segunda-feira, 18 de março de 2013

Lenilde Ramos

- um dos ícones Femininos da Música Sul-Mato-Grossense

Acervo Pessoal
              LENILDE RAMOS  tem uma  história singular quando o tema  é música.

Incentivada pelo pai pernambucano, começou a tocar sanfona aos sete anos e a compor ainda na adolescência. Aos quinze já vencia festivais e foi nesse período fértil para a música de Mato Grosso do Sul que se integrou ao movimento cultural que fez surgir uma nova linguagem inspirada nas raízes populares, na influência da fronteira paraguaia e no processo de globalização.



Lenilde sempre dividiu sua arte com a produção cultural, organizando eventos e divulgando os artistas de sua terra. Só depois de muitos anos assumiu o projeto de se dedicar integralmente à música, inspirada pelo carisma de Helena Meirelles.  É o que está fazendo desde 1999, com energia, talento e experiência, dedicando-se à pesquisa da música de raiz, mpb, música latina, rock e música internacional, cantando em seis idiomas.






Nesses últimos anos Lenilde tem se apresentado em locais turísticos como Bonito e Pantanal, viajou pelo interior de MS, São Paulo e Belo Horizonte. Em 2003, foi para a Itália, onde tocou com o violonista Marcelo Loureiro. Lenilde se reveza entre o violão, o piano e a sanfona. Um detalhe que se destaca em seu trabalho é a execução do Hino Nacional Brasileiro e do Hino de MS com a sanfona. Este é o seu Circuito da Cidadania, com o qual percorre escolas, universidades, instituições e grandes eventos.  Em setembro passado Lenilde cantou o Hino Nacional no Auditório do Senado em Brasília, abrindo o Encontro Nacional da Pestalozzi.

Lenilde Ramos participou do São João de Corumbá, abrindo o show de João Bosco e Vinicius e também abriu o show de Dominguinhos e Yamandu Costa no Circuito Nacional do Banco do Brasil. Em 2009, a sanfoneira completou 10 anos de carreira solo e o perfil de seu trabalho a consolida como embaixadora da cultura de seu Estado.

Lenilde já se apresentou no Festival América do Sul em Corumbá e no Festival de Inverno de Bonito com“O Bando do Velho Jack”. Com essa banda participou do Projeto Gerações, patrocinado pela Petrobrás. A onça pintada também foi adotada por Lenilde, que pinta o rosto e incorpora as raízes pantaneiras com humor e teatralidade em seus shows.  
Em 2010 a sanfoneira se apresentou no Congresso Nacional da Receita Federal, no Centro de Convenções de Bonito, na Universidade de Brasília e no Hotel Nacional, também em Brasília, onde abriu o Congresso Nacional de Psicologia. No final de Julho do corrente ano, Lenilde participou com sua sanfona da noite de abertura da II Feira do Empreendedor, organizada pelo SEBRAE.
Lenilde Ramos também investe no campo da literatura lançando seu primeiro livro editado pela UFMS, “História sem Nome”, onde relata o trabalho realizado por mais de 30 anos no Hospital São Julião. Seu livro foi traduzido e está sendo lançado na Itália.   
Contato: (67) 3213 1385 – 9233 8855 * lenilderamos@gmail.com
Postar um comentário